terça-feira, 19 de maio de 2009

Antony & The Johnsons - Coliseu do Porto - 18 de Maio


Na 2.ª-feira à noite, eu e o Curufinwë tivemos o privilégio de assistir ao concerto de Antony & The Johnsons, no Coliseu do Porto.

Depois da entrada em palco de uma misteriosa figura feminina que simbolizava algumas das orientações do álbum The Crying Light - preocupação com o meio ambiente, aquecimento global - eis que surge a banda tão aguardada. A noite foi marcada pela sucessão de cores que tão bem assentavam nas diversas sonoridades.

Como era de esperar o concerto foi marcado pela beleza, pela harmonia e perfeição.
Antony tem uma voz única. Um timbre inimitável, um poder de alcance espantoso e uma interpretação sem falhas. Goste-se ou não, é impossível não reconhecer a qualidade do seu canto. E os músicos da banda! A execução musical foi excelente! Fiquei deslumbrada com tanto profissionalismo e qualidade, com tanta perfeição.

Não me recordo do alinhamento, mas recordo momentos como "Her Eyes Are Underneath The Ground", "You Are My Sister", "Aeon", "For Today I'm a Boy", "Another World", "The Crying Light", "Where is My Power", "Epilepsy is Dancing" que foram de perfeita harmonia, quase divinos.

O momento alto da noite foi, para mim (e penso que para muitos dos que lá estiveram), a excelente interpretação de "Fistful of Love". Esta é uma das minhas músicas preferidas e esperava que fizesse parte do alinhamento. Mas não esperava um momento tão sublime. A banda foi irreprensível em todos os aspectos. E todos nós sentimos isso. De tal forma que depois de terminada, o público reagiu de forma tão entusiasta que, após os aplausos, o momento final da música foi recuperado, mais uma, duas, três vezes... Foi para mim um momento perfeito!

Antony foi também um verdadeiro entertainer - afável, acessível, com sentido de humor. Interpelou o público várias vezes, teve a simpatia de perguntar como estavam os seus fãs, como estava a cidade... Falou das suas preocupações ambientais, da fé (excessiva) depositada em Obama, da esperança num mundo melhor, da sua visão da religião e de como o Papa deveria ter uma visão de um Deus no feminino... No meio de tudo isto, houve ainda quem lhe propusesse casar...

Depois de muitos aplausos, absolutamente merecidos, que reivindicavam o regresso de Antony e dos restantes músicos ao palco, a banda acedeu ao pedido do público e o encore consistiu em duas belas escolhas - "Cripple and Starfish" e o belíssimo "Hope There's Someone". De novo, os aplausos de um público rendido ao talento e beleza invulgares, de uma banda invulgar. Mas desta vez, era de vez. E Antony disse adeus ao Coliseu do Porto. Pelo menos, por agora.

Uma noite sublime, em que cada um dos que tiveram a sorte de estar no Coliseu esteve um pouco mais perto da perfeição.



Antony & The Johnsons - "Fistful of Love" (Ao vivo)
(A qualidade do som (voz, instrumentos) era tão boa como a deste vídeo, acreditem. Mas a interpretação de ontem foi muito mais sentida e assombrosa.)

3 comentários:

Curufinwë disse...

Apesar de conhecer poucas músicas da discografia de Antony & The Johnsons, vê-los actuar, o modo como os instrumentos, perfeitamente definidos, se vão insinuando ao longo das composições, fez-me ganhar muito respeito pelo trabalho destes senhores e de todos os músicos que, até segunda-feira, a minha sensibilidade não me permitia apreciar.

Não será uma banda para toda a gente, mas de mim fizeram um "crente".

Teresinha disse...

Uma noite memorável!! ;)
Bjinho

joao disse...

Uma noite excelente...!


http://sonsurbanos.wordpress.com/2009/05/21/antony-and-the-johnsons-ao-vivo-no-coliseu-do-porto/