quarta-feira, 9 de julho de 2008

Rock n' Roll Is Dead! 2

Embora o título deste post não tenha uma relação directa com o que aqui escrevo, remete para um outro que publiquei em Junho (os mais atentos recordar-se-ão; os "peixinhos vermelhos", no entanto, poderão socorrer-se desta cábula), em que a temática das t-shirts de "cariz literário" era abordada.
Ontem, mais uma vez numa das minhas arriscadas incursões pela rede de Transportes Públicos (haverá melhor fonte para elaboração de uma tese em "Escatologia Cerebral" ou "Raquitismo Comportamental"?), sou magneticamente arrastado para a "aparição" de um quarentão (com certeza, acabado de descer dos andaimes, há pouco mais de 15 minutos), trajando uma t-shirt que, à boa maneira do jogador de futebol, como se de identificação se tratasse, comunicava no dorso, com laivos publicitários, mas, ao mesmo tempo, dotada de um certo pudor censório, a seguinte ordem:

- 5UCK MY D1CK

Que o indivíduo pertencia à casta masculina, tenho 91,3% de certeza; se seria possuidor de genitália concordante com a sua condição, já é mais difícil de concluir. Assim sendo, assoma-se-me deveras pertinente e atencioso o serviço informativo prestado. Por um lado, assegura-nos pertencer, por preencher os requisitos mínimos, a esse selecto e restrito grupo denominado Clube Fálico, a quem devemos muita da proliferação do género humano. Por outro, disponibiliza, de forma implicitamente atenciosa, o livre usufruto do artigo em questão, numa demonstração de um altruísmo tal que, sendo todos bem-vindos, se esvaiem de sentido conceitos abstractos como credos ou culturas.

Concluindo, deixo-vos esta equação que resume, de forma incisiva, mas simples, a beleza do conceito poético do trajo:

Povo Analfabeto + Acordo Ortográfico - Tele-escola e Follow Me / Baixos Rendimentos e Acessos * Passado Glorioso = Receita para o Desastre

3 comentários:

Soneca disse...

LOL!

Acho extremamente interessantes estes exercícios de psicanálise prêt-à-porter com que nos cruzamos diariamente. Tal como o divã de um qualquer discípulo freudiano simboliza a expiação das nossa culpas, as modestas vestes do nosso povo são o expoente máximo da sua queda para o confessionalismo: Sex Bomb, Sexy Babe, I'm Sexy, Sexy 69, PSD 98, CDS-PP...

É através do vestuário que os portugueses fazem pleno uso do seu livre arbítrio. Nele se revelam insondáveis segredos, angústias, culpas e desejos de outra forma inconfessáveis.

E mais! Estes vestes que tão bem projectam o que vai na alma do povo têm, normalmente, uma característica incontornável: cheiram... e mal!...

horned_dog disse...

Eh pá, eu que sou da área das Ciências Exactas não conseguiria arranjar melhor fórmula matemática para explicar este fenómeno. Oh amigo, essa cena de estar sempre rodeado de livros não estará porventura a afectar-te? Começo a ficar preocupado! Não tarda, estás aos Domingos à noite na TV a recomendar livros que nunca leste, sobre assuntos que antes não percebias, só por teres estantes recheadas ao teu redor. Afinal o conhecimento também se adquire por osmose! :-)

Quanto às tuas capacidades analíticas, no campo da socio-antropologia, já anteriormente não tinha quaisquer dúvidas.

Grande abraço

Espigõum disse...

E a banda sonora ideal para este artigo é: ....

'Rock is dead!' by MR. M. Manson.

X'D hehe... "amphetamines for boys, & crucifixes for ladies..."