quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

O estranho mundo de Russell Edson

Russell Edson é considerado um dos mais importantes escritores de prosa poética do século XX, tendo sido um dos percursores desta forma de escrita. Os seus poemas são bizarros, pois nele encontramos seres comuns e banais - homens, animais - que se transformam e passam a fazer parte de outras realidades, apresentando características absurdas. Aliás, absurdo é das primeiras palavras que nos vem à cabeça, quando se conhece a obra de Russell Edson, que revela também muito humor e imaginação.
A Assírio & Alvim publicou em 2002 uma selecção de alguns poemas de R. Edson, intitulada O Túnel. A selecção ficou a cargo de José Alberto Oliveira, que fez também uma excelente tradução. Isso pode ser confirmado por qualquer leitor, pois os originais estão disponíveis para leitura, mesmo ao lado da respectiva tradução.

Deixo aqui um dos poemas incluídos nessa selecção, para que melhor fiquem a conhecer o estilo de Edson e percebam para que tipo de realidade se entra quando se lê um dos seus trabalhos:

OUTONO

Uma vez um homem encontrou duas folhas e entrou em casa segurando-as com os braços esticados dizendo aos pais que era uma árvore.

Ao que eles disseram então vai para o pátio e não cresças na sala pois as tuas raízes podem estragar a carpete.

Ele disse que estava a brincar não sou uma árvore e deixou cair as folhas.

Mas os pais disseram olha é outono.

EDSON, Russell, O Túnel. Lisboa: Assírio & Alvim, 2002. (Trad. José Alberto Oliveira)

1 comentário:

Espigõum disse...

Engraçado... olha o que eu encontrei há uns dias atrás na net:

http://coldhardflash.com/2008/02/trussell-enjoys-the-ride-with-morcheeba.html

coincidência, ao que parece <:')=
(é um dos sites/blogs que tenho o hábito de seguir... e estava lá esta anim.)

O texto soou-me bem... hmm..