sexta-feira, 9 de maio de 2008

Lenine e os Cominhos

Nunca entendi muito bem o porquê de alguns avisos e sobretudo o porquê de eles se referirem a determinados locais. Segue aqui um exemplo...

"Proibida a entrada a estranhos". (Geralmente visto na porta da cozinha de um qualquer restaurante deste país...)
Aliás... "Proíbida entrada a estranhos" (... com o indispensável "í")

Caramba! De que é que eles têm medo??? Que algum cliente se erga subita e resolutamente porque quer reinvidicar o seu direito de ir à cozinha lavar 92 quilos de loiça ou pôr mais alguns cominhos na mão de porco? Medo de algum Lenine dos coiratos que mobilize a classe engulidora e faça uma investida tipo a do Palácio de Inverno?

A ideia de ir a um restaurante comer uma refeição feita por outros é não termos de a... cozinhar! Certo?

... ou no caso de nós, homens, não sentirmos a obrigação de lavar os pratos no final, assumindo que estejamos na casa dos sogros. Certo?
Acreditem... Juro-vos que o último sítio onde eu quero entrar num restaurante é na cozinha!

... Aliás... vendo bem... o último sítio onde quero entrar num restaurante é na casa de banho, tendo em conta a costumeira higiene deste país de brandos costumes.
Ou seja... sempre que vou a uma casa de banho, interrogo-me sobre o tipo de higiene que existirá, ou não, no outro local sensível. E qual é? (Dou-vos 5 segundos)...

E ao fim de 2, vocês respondem:

!!!A COZINHA!!!!

Posso daí depreender que, uma vez que os clientes assumem que a cozinha poderá estar, no mínimo, tão má como a casa de banho, pensarão duas vezes em assumir que o verde das bifanas vem das ervas aromáticas e em reflectirem sobre se não valerá a pena ficar em casa da próxima vez.

Resumindo. O cartaz colocado na porta das cozinhas é destinado aos que já visitaram as casas de banho!

Mas não seria muito mais sensato terem colocado logo aí o dito cartaz?

4 comentários:

Curufinwë disse...

Até que enfim apareces!

Andaste, de certeza, um mês a pensar no (enganoso) título que deste ao post. "Lenine e os Cominhos"? Puff...

Já agora: os espanhóis é que costumam pôr pontuação no início e no fim das frases!

IgnoranceIsABlitz disse...

Bem...

Deveriam colocar aqui o seguinte cartaz:

"Proibida a entrada a pontuações estranhas!"

Na próxima vez fico no Vila Galé.

9 de Maio de 2008 16:59

Espigõum disse...

É a adaptação de um estrangeirismo X'D=

Se repararmos bem ele não escreveu 'i's minúsculos no icício da frase (para dar a ideia de um ponto de exclamação ao contrário)
:')

Bem visto que se se quer ir a um restaurante é porque se quer ficar longe da cozinha :')

horned_dog disse...

Este é claramente um caso em que "Ignorance is (indeed) a Bliss"!

E concordo com a abolição de pontuações estranhas. Faz-me lembrar a revolta que senti, quando era apenas uma inocente criança e descobri que a revista não se chamava "ihola"... Foi pior do que o caso do Pai Natal! Raisparta os espanhóis!