terça-feira, 27 de maio de 2008

Operação Stop and Go

Há uns dias atrás, eu e o Curufinwë fomos mandados parar numa vulgar Operação Stop. Foi num Domingo à noite, depois do jogo da Final da Taça de Portugal entre o Sporting e o Porto. Foi tudo muito giro e tal, os seus documentos, os documentos da viatura, etc, etc... Não se pode dizer que não estivéssemos um poucochito, vá lá, nervosos. Mas fiquei surpreendida por ver que o Sr. Agente (parece que é assim que se deve dizer) ainda estava mais intimidado do que nós! Quando respondíamos às perguntas que fazia, dizia sempre que não havia problema nenhum, que era só para confirmar, como se estivesse a pedir desculpa pelo incómodo que nos estava a causar... Que prevaricadores tão fraquinhos que nós somos!

Mas devo dizer uma coisa! Fiquei extremamente desiludida com a situação. Não nos pediu para ver o triângulo, nem para ver os coletes, nem o que tínhamos na mala... Tudo bem, não vou dizer que tenha sido uma falha extremamente grave, mas bolas, é que ele não desconfiou nem um bocadinho... Temos assim um ar tão bem-comportadinho?
Mas o que me deixou mais frustrada foi o seguinte: tínhamos uma criança no banco de trás e pediram-nos para ver a cadeira? Não. Tinha acabado de haver um jogo para a Taça, tínhamos saído da VCI e pediram-nos para soprar o balão? Não.

Isto para mim foi "the ultimate test”. É verdade, somos uns geeks e nem a polícia tem dúvidas disso. Bem podíamos ter andado nas caipirinhas, podíamos ter a Maddie no banco de trás, podíamos ter a mala do carro cheia de material contrafeito ou com um gajo cortado às postas... Era indiferente. Porque parecemos uns geeks bem-comportados e, meus amigos, contra isso não há nada a fazer. Deve ser genético e por muito que se tente nunca ninguém vai achar que somos capazes de infringir a lei. Enfim... Se alguém precisar de alguém com cara de quem não faz mal a uma mosca para fazer um servicito menos limpo, é só vir cá à pensão. Mas queremos uma percentagem...

5 comentários:

Espigõum disse...

Ser insuspeito é sempre uma vantagem X')=

Bem.. no Sin city quem diria que o Elijah era quem era. Para não falar no Dxtr. :')

Mas ya, acho que ele só tava a tentar acumular pontos no plantel d'"os polícias + competentes do mês (candidatos a promoção)"

horned_dog disse...

Péssimo bófia.. Se fosse dos bons (e não, não me refiro aos do CSI) sabia que os gajos com cara de anjinho são os piores... Já gajos como eu, com aspecto de maltrapilho rufia, não fazem mal a uma mosca.

Sintam-se com muita sorte devido ao facto do cadáver ser ainda fresco e não tresandar na mala do carro, senão não havia polícia ingénuo que vos safasse!

Soneca disse...

O mais curioso é que a paragem foi mesmo perto de casa, perto da paragem do antigo 90. Um lugar perigosíssimo como sabes!

Mas o que era interessante eram os abutres todos parados do outro lado da rua a olhar e mais alguns olhares curiosos vindos de cima, dos prédios que tão bem conheces... E muitos devem ter ficado bem desiludidos quando nos viram a ir embora a pensar «A mim não me enganam eles...»

Curufinwë disse...

Eu tinha a barba por fazer... Tenho algum benefício por isso?

IgnoranceIsABlitz disse...

Bem... a partir do momento em que se recusam a prender-me apesar de ter desperdiçado 32 anos de vida eu já acredito em tudo.
E o melhor é que se matasse um gajo de 32 anos eram mesmo capazes de me enfiar na choça.
Dura lex sed estulta lex...