quinta-feira, 8 de maio de 2008

O Grande Deus Pã


Disponível desde Outubro do ano passado, pela mão da minha editora "fétiche", a Saída de Emergência, com uma peculiar tiragem limitada de 999 exemplares (não se preocupem, ainda está à venda!), encontra-se o livro O Grande Deus Pã, de Arthur Machen.

Sendo o seu nome de baptismo Arthur Llewelyn Jones, Machen (1863-1947) é um autor galês que atingiu o auge da carreira literária, na última década do século XIX, com a publicação de várias novelas daquilo que se pode considerar o "Fantástico Vitoriano".

Comparável a Ernst Theodor Amadeus Hoffmann no estilo, de laivos lovecraftianos na temática e, nitidamente, influenciado pelos precoces e frágeis avanços da Medicina no seu tempo (nomeadamente, as autópsias rudimentares e o primitivo estudo da fisiologia cerebral), as suas narrativas apresentam um tom ligeiro e ingénuo, mas curiosamente ousado, no que respeita ao entrelaçar da Ciência com o Oculto.

Referência até aos nossos dias, de cuja influência O Labirinto do Fauno (inspirado n' O Grande Deus Pã), de Guillermo del Toro, é o exemplo mais evidente, o final dos seus contos é sempre enigmático e obscuro, numa estética que, mais tarde, poderemos encontrar em marcos culturais como The Twilight Zone.

Recomendo, vivamente, a sua leitura para quem, como eu, é adepto deste tipo de imaginário.

1 comentário:

Espigõum disse...

...
ok, agora fiquei com a pulga atrás da orelha...

:')